Entries Tagged 'Geral' ↓

Feliz ano novo!

Que as ondas levem 2011 para o mar….

As dez profissões mais felizes

Esta saiu na revista Forbes americana. Esta pesquisa indica o que realmente faz as pessoas felizes.

É fácil notar que as profissões mais felizes são aquelas que tem relação com ajudar as pessoas e não necessariamente as mais bem pagas. Fora isso a autonomia conta muito.

Por outro lado  as mais infelizes são geralmente bem pagas, logo a dificuldade está no aspecto psicológico da profissão. Se compararmos com as mais felizes, o profissional não tem a sensação de ter ajudado alguém, o que é um fator que torna a profissão infeliz. Fazer pessoas ricas ainda mais ricas também não é muito recompensador, cargos de diretoria, por exemplo, tem basicamente este objetivo: você normalmente trabalha para os grandes acionistas que tem grandes somas de dinheiro investidas na empresa. Outros problemas são lidar com pessoas complicadas, a burocracia e a falta de autonomia.

10 Profissões mais felizes:

1 – Clérigo: O original não explica mas a felicidade vem do fato do profissional trabalhar para a felicidade alheia e dos estudos sobre mente humana.

2 – Bombeiros: Oitenta porcento estão muito felizes com a profissão que também envolve ajudar os outros.

3 – Fisioterapeutas: A interação social e o fato de ajudar os outros faz desse trabalho um dos mais felizes.

4 – Autores: Para a maior parte dos autores os ganhos são baixos ou não existentes, mas a autonomia de escrever o que quiser leva a felicidade.

5 – Professores de educação especial: Se você não liga para dinheiro, um trabalho na educação especial pode ser uma profissão feliz (como sempre, a chave é ajudar os outros). Os ganhos anuais nos Estados Unidos são abaixo de US$50.000,00.

6 – Professores: Os professores em geral se dizem felizes em seus trabalhos apesar dos problemas de orçamento (e olha que esta pesquisa foi feita nos EUA!) e das condições das salas de aula. A profissão continua a atrair jovens idealistas apesar de cinquenta porcento dos professores deixam a profissão em cinco anos (não sei bem se esta realidade se aplica no Brasil).

7 – Artistas: Escultores e pintores relatam alta satisfação no serviço apesar da grande dificuldade em se ganhar dinheiro com isso.

8 – Psicólogos: Psicólogos podem ou não resolver os problemas dos outros, mas parece que são capazes de resolver seus próprios.

9 – Agentes de vendas de serviços financeiros: Sessenta porcento dos vendedores de serviços financeiros se dizem felizes com seus trabalhos. Isso pode acontecer porque seus ganhos são de US$90.000,00 nos EUA por ano numa média de 40 horas semanais. No Brasil pode ser até melhor, com essa taxa de juros gigantesca a lucratividade dos bancos melhora ficando mais fácil conseguir um aumento.

10 – Operadores de Máquina: Lidar com escavadeiras, pás-carregadeiras, retroescavadeiras, motoniveladoras, pás, torres de perfuração, bombas e compressores de ar pode ser divertido. Com mais trabalhos do que pessoal qualificado (pelo menos nos EUA), os operadores de máquinas reportam ser felizes.

10 Profissões mais infelizes:

1 – Diretor de TI: Diretores de TI tem quase a mesma influência em algumas empresas que o CEO, mas eles relatam o mais baixo nível de satisfação com seus empregos. Porquê? Nepotismo, clientelismo, e desrespeito para com os trabalhadores.

2 – Diretor de Vendas e Marketing: Tem o segundo mais baixo nível de satisfação. A falta de direção dos níveis superiores e a falta de espaço para crescimento profissional.

3 – Gerente de Produto: Se queixam de crescimento restrito da carreira, e do trabalho chato mesmo neste nível.

4 – Desenvolvedor Web Senior: Relatam um baixo nível de satisfação porque os empregadores são incapazes de comunicar de maneira coerente, e da falta de entendimento da tecnologia.

5 – Técnico especialista: Apesar de todo o seu expetise em sua área, são tratados com desrespeito. Suas opiniões não são levadas a sério pelos seus superiores.

6 – Técnico eletrônico:  Se queixam de ter pouco controle sobre o horário de trabalho, falta de reconhecimento, sem oportunidade real de crescimento, sem motivação para trabalhar, sem opinar como as coisas deveriam ser feitas e hostilidade mutua entre colegas.

7 – Escrivão:  Está entre as mais cobiçadas profissões na área (nos EUA) e incrementa o currículo. Mesmo assim a profissão tem baixos níveis de satisfação. As horas de trabalho são longas e cansativas e o escrivão está sujeito aos caprichos de personalidades voláteis.

8. Analista de Suporte Técnico:  Ajuda pessoas com seus problemas de computador. Isto comumente significa acessorar calmamente pessoas em pânico, frequentemente no telefone, somente para descobrir que o cliente não ligou a impressora. Pode ser requisitada uma uma viagem sem aviso prévio, algumas vezes em feriados e fins-de-semana.

9 – Operador de CNC: Operam máquinas como Centros de Usinagem, Fresas e Tornos operados por computador.  Agora que o operador teve quase todos os riscos físicos eliminados pela máquina, não há muito a fazer a não ser pressionar botões e fazer a manutenção. Já que é uma profissão especializada, não oferece espaço para crescimento.

10- Gerente de Marketing: A falta de direção é citada como a razão da falta de satisfação.

Fotos do Casamento da Luciana!

As fotos já estão lá ja faz quase um mês mas vá lá……

Casamento da Luciana

Essa é a melhor!

limite

original

Colher de Gálio !

Olhem só este vídeo….

A colher é feita de gálio, um metal que funde a temperatura de 30°C. Daria uma bela brincadeira se eles não vendessem o kit tão caro….

….E lá se foi mais um ano.

Já se foram vários meses que não adiciono nada aqui. Os últimos posts foram feitos pelo meu primo, o Alexandre. Este 2010 foi particularmente difícil para mim, tive muito trabalho para fazer somado ao mestrado que está difícil. Mas finalmente acabou. No momento estou curtindo minhas merecidas férias que já estão terminando.

Vergonha 2 ou Corolla não é seguro para crianças

Europeu, igual ao nosso, mas só por fora.

O Toyota Corolla é um dos sonhos de consumo da classe média. É o sedã médio referência da categoria e o mais vendido também. A partir de cerca de 65 mil reais (Xei mecânico) leva-se pra garagem este símbolo de status e poder. Mas se o feliz e orgulhoso proprietário tiver filhos entre 1,5  e 6 anos, estes não terão muitos motivos pra comemorar.

O japonês  recebeu 4 estrelas (em cinco possíveis) no quesito proteção para adultos e 1, isso mesmo, uma única estrela para os ocupantes infantis no programa de testes de colisão da Latin NCAP. Isto significa que o cobiçado  modelo protege bem os adultos, mas não garante a segurança da criançada que viaja atrás nas cadeirinhas exigidas pela nova legislação.

O mesmo Corolla fabricado e vendido na Europa levou 5 e 4 estrelas. Daí se conclui, por baixo, que os materiais e o projeto do nosso é de qualidade bem inferior. Entretanto, isto não condiz com os valores cobrados. Lá ele é mais barato e bem mais equipado, senão vejamos: 25 mil euros ou R$58.500 (Exclusive 1.6 Valvematic mecânico) com oito air bags e sistema ISOFIX – um dos melhores para um bom vínculo estrutural entre cadeirinha e carroceria, além de boa sopa de letrinhas, ABS com EBD e BA e VSC e TRC. Isto só pra ficar na parte da segurança.

Ora, pagamos bem mais por bem menos.

Pessoas desconfiadas são as mais fáceis de serem enganadas!

Esta reportagem é interessante para mim por causa de algumas tendências “generosas” que tenho de vez em quando. Eu cheguei a emprestar R$1500,00 para uma pessoa amiga minha que tinha conhecido a pouco tempo. Algumas pessoas disseram que seria loucura, eu iria perder este dinheiro, mas tudo ocorreu normalmente dentro do que negociamos. Quando a conheci, já sabia que era confiável, então emprestei.

Não sou uma pessoa desconfiada, nunca tive problemas para notar quando a pessoa ia me dar problemas, já aconteceram alguns mas foram muito raros.

Estou escrevendo isso pois ouço falar que sou uma pessoa ingênua por acreditar nos outros rápido, talvez por ter realmente sido quando tinha meus 8 ou 9 anos, mas com 34 a coisa mudou.

A reportagem está neste link.

Vídeo de avião recebendo raio !

Deêm uma olhada nesta cena. Impressionante não? O raio parece não ter danificado o avião.

Beleza das modelos inalcançável? Nem tanto….

Eu deparei com um fato bastante peculiar que anda ficando comum num mundo em que a beleza anda sobre valorizada: uma foto montada com modelos sem maquilagem! Isto anda ficando comum por causa das críticas ao culto da beleza, eu já vi várias, mas desta vez esta foto me chamou a atenção:

Eu posso dizer que uns 70% das mulheres com tive algum tipo de relação amorosa são, no mínimo, tão belas quanto as modelos na montagem. Parece um feito “incrível”, isso até deixaria a entender que só namoro modelos (uma de minhas ex realmente era!), mas não é.

O que acontece é que a mágica também está na maquilagem e nos retoques digitais. Até a minha irmã poderia estar lá se estivesse viva.

Tem mais, uma modelo precisa ser alta (com mais de 1,75m) e tem que ter um corpo bem magro, tem que ser bastante profissional (seja lá o que isso significa para uma modelo), e não basta somente um rosto bonito. Nas minhas condições, eu não ligo muito para a altura (desde que não tenha 1,50m!) e nem acho mulheres magérrimas tão atraentes assim. Tem o negócio da celulite e do excesso de peso mas eu sou mais tolerante a isso do que as pessoas que as contratam e ao público a que elas se destinam (outras mulheres).

Houve uma certa polêmica devido a foto porque alguns homens a criticaram, dizendo que daquele jeito elas não parecem atraentes. Eu li até umas respostas agressivas de pessoas defendendo as modelos e, em minha opinião, todos tem a sua razão.

Concordo que aquela foto mostrou um lado de mulher comum delas, o que é a critica dos homens, mas esse mundo de aparências e de exibição de roupas e corpos não foi feita tendo os homens em mente, somente as mulheres. Um cara como eu prefere mulheres que sejam bonitas com pouca ou nenhuma maquilagem, as mulheres geralmente não tem esta opinião. Quanto as roupas, eu não dou tanta bola assim, mas as mulheres quase que se matam para competir qual é a mas bem vestida.